Com o tempo percebi o que as pessoas buscam respostas para a queda de cabelo localizada. Querem saber o que é possível fazer para melhorar aquela área. Resolvi fazer uma série de posts interligados que vão desmistificar esse assunto, respondendo dúvidas e trazendo as novidades eficazes para cada tema.

O corpo é como um relógio e as alterações de uma parte pequena como ferro pode gerar uma grande deficiência em vários pontos como unhas, cabelo e indiretamente ganho de peso ou perda de massa muscular. Pois muitas vezes a perda de ferro traz um cansaço excessivo que dificulta a realização de outras atividades.

Falando em cabelo, recebo um número alto de pacientes com queda crônica que piorou nos últimos meses.
Então resolvi escrever sobre o tema e as novidades que temos sobre o assunto. Não podemos esquecer que o crescimento do cabelo tem 3 fases;

A maioria das quedas tem relação direta com a fase Telógena – Eflúvio Telógeno que pode ser crônico, ou seja, ter uma duração maior que 6 meses onde há queixa referente a queda de cabelo e piora no banho. Existe também a queda de cabelo de padrão androgenético que é a mais famosa. É genética e pode atingir homens e mulheres, não há queixa de queda e sim de perda de volume a afinamento do cabelo. Em alguns casos a soma dos dois fatores acaba piorando o quadro e quando o paciente nota, muitas vezes entra em desespero.

fases2

Vamos ao que tem de novo e funciona, ou seja, tem literatura comprovando a segurança e eficácia do uso.

Eflúvio Telógeno:

  • Diagnóstico clínico (exames laboratoriais inclusive metais pesados), Dermatoscopia e em Raros casos Tricograma que é um exame dos fios.
  • Tratamento: Medicamentos orais e vitaminas (pp ferro e zinco).

Local: Visa melhora do couro cabeludo e oleosidade local que pode se somar e piorar a queda = esfoliação de couro cabeludo.

Mesoterapia Capilar: Injeção vitaminas e novas combinações com de vitaminas e medicamentos.

Microagulhamento Capilar: Estimula célula tronco que tem redor dos cabelos melhorando a vitalidade dos fios finos e estimulação de crescimento (fase Anágena).
Infravermelhos são lasers de baixa intensidade que apesar de muito usados ainda não tem comprovação cientifica no uso das queda.

Aplicação de medicamentos pós esfoliação com uso de alta frequência que faz penetração ativa e mais rápida da droga
Para cabelos, cílios e sobrancelhas: uso de bimatoprosta que é uma droga de prescrição e alonga os fios destes locais e pode ser usado como adjuvante.

Alopécia Androgenética:

  • Diagnóstico clinico (exames laboratoriais), Dermatoscopia, Controle miniaturização fios.
  • Tricograma e teste genético (teste que se faz por coleta de saliva em consultório)

Tratamento:

  • Local: Medicamentos orais (Finasterida, Dutasterida, Espironolactona, Glucoformina), teste genético de sensibilidade à droga Finasterida, vitaminas ( pp, ferro e zinco )
  • Mesoterapia capilar
  • Microagulhamento: Interessante combinado com algumas drogas como Finasterida e deve ser feito semanal ou quinzenalmente.
  • Aplicação de medicamentos pós esfoliação com uso de alta frequência que faz penetração ativa e mais rápida da droga

Alopécia Areata

Tipo de queda abrupta que normalmente não e difusa. Pode evoluir com áreas de pelada ou clareiras.
Diagnostico clinico (exames laboratoriais), Dermatoscopia, Tricograma, Biopsia em casos de dúvida

Tratamento:

  • Local: Medicamentos orais (corticoide orais), vitaminas (pp, ferro e zinco), mesoterapia capilar com Corticoide.
  • Microagulhamento: Interessante combinado com algumas drogas como Corticoide e Minoxidil e deve ser feito semanal ou quinzenalmente.
  • Aplicação de medicamentos pós esfoliação com uso de alta frequência que faz penetração ativa e mais rápida da droga
  • Uso de laser não ablativo para estimulação local ou drug delivery