Se aplicar Toxina Botulínica várias vezes vou criar resistência?

A toxina botulínica pode ser do tipo A ( Botox e Dysport ) ou do tipo B ( Myobloc ). No Brasil só usamos as duas primeiras. A aplicação da toxina botulínica pode ser realizada com intervalos de no mínimo 3 meses e deve se manter numa dose de no máximo 100 U de Botox ou 300 U Dysport (marca da toxina Allergan e Galderma respectivamente) por sessão para evitar superestimulação do sistema imunológico aumentando as chances de desenvolver resistência à toxina. Esta ocorrência é possível, mas rara se mantidos os cuidados acima. Se isto ocorrer pode se tentar usar a toxina botulínica da marca diferente à usada nas aplicações anteriores.

Tenho bigode chinês, mas tenho medo de ficar mais bochechuda se preencher!?

As rugas de expressão acontecem, pois a densidade de colágeno e elastina de pele vai reduzindo ao longo dos anos. Muitas vezes tudo isso é piorado por exposição solar crônica, fumo e alteração das estruturas de sustentação (osso e gordura). Elas estão evidentes mesmo sem movimentação da face. Podem ser amenizadas por preenchedores de vários tipos:

– curta duração –(1 ano) – a base de ac hialurônico – preenchimento imediato

– media duração – (1,5 – 2 anos) = a base de hidroxiapatia ou ac poli-l-láctico- preenchimento final pode demorar até 6 meses. Depende da formação de colágeno do próprio paciente.

O tipo de preenchedor a escolher também depende da localização a ser usado. No preenchimento do tipo revolumerização muitas vezes é necessário o uso dos preenchedores, principalmente quando envolve contorno ou aumento de lábios também. O resultado final sempre deve ter a aparência discreta respeitando a estrutura facial e conjunto corporal / facial do paciente. Deve-se tomar o cuidado de esculpir a face junto com o paciente para chegar a um resultado próximo ao esperado.

O Uso da Toxina Botulínica Profilática

Em SP, mulheres de 30 buscam Toxina Botulínica para prevenir rugas. O uso da substância por mulheres jovens cresce na capital paulista. Objetivo é retardar o surgimento de rugas e amenizar linhas de expressão

A eliminação de rugas com uso de Toxina Botulínica deixou de ser exclusividade de mulheres com mais de 40 anos. A procura do tratamento que paralisa os músculos da face e retarda o envelhecimento por mulheres com menos dos 30 anos está em crescimento nos consultórios da capital.

“Antigamente, a gente mais indicava do que era procurado, mas agora as mulheres mais jovens chegam e pedem”, diz a dermatologista Gabriela Casabona que percebe o aumento desse movimento há cerca de dois anos.

Na clínica em que ela trabalha, na Zona Sul de São Paulo, mulheres com menos de 30 anos já respondem por cerca de 30% da procura por Toxina Botulínica. O efeito esperado é a prevenção de rugas. A maioria de suas pacientes já tem indício de linhas de expressão.

Em uma paciente considerada ideal, que se alimenta bem e evita o sol, aplicações de seis em seis meses conseguiriam retardar o surgimento de rugas por cinco anos, estima a dermatologista.

Hollywood

A atriz Marina Nurre, de 27 anos, recorreu ao BOTOX® pela primeira vez aos 25 anos, embalada pelo grande uso da substância em Los Angeles, nos Estados Unidos. “Eu estava em Hollywood e todo mundo era super perfeito. Na época não era necessário (fazer a aplicação)”, admite.

Na época, ela queria tirar linhas de expressão da testa. “Eu não tinha rugas no rosto. Só quando sorria ou falava que a testa franzia e não me agradava”, diz a atriz, que voltou neste mês a fazer aplicações para prevenir as rugas.

Daniela Viana, de 30 anos, também corrigiu linha de expressão aparente que não a agradava. “Faço muito uma marca de expressão no meio das sobrancelhas e acabo ficando com cara de brava o tempo inteiro”, conta ela.

A nutricionista, que fez a primeira de suas três aplicações aos 28 anos, aprovou o resultado e aderiu de vez ao tratamento. “Não tenho porque rejuvenescer. Estou fazendo por prevenção. Quero estar com a pele lisinha. Minha intenção com o BOTOX® é algo particular, de eu me sentir bem”, justifica.

Nesta faixa etária, os resultados costumam ser imperceptíveis. Segundo a arquiteta Cassiana Podval, de 30 anos, nem mesmo seu marido reparou. “As pessoas não percebem. É uma vaidade pessoal”, diz ela, que eliminou “dois risquinhos verticais entre as sobrancelhas”.

Animada com a descoberta, Cassiana só lamenta não ter feito aplicações antes. “Se soubesse teria começado mais cedo. A única coisa ruim é que dura pouco, em torno de quatro meses. Daí tem de reaplicar, e é caro.”

O preço de uma seringa, com 1 ml da substância (mulheres jovens costumam usar menos que isso), varia em clínicas de São Paulo de R$ 900 a R$ 2,5 mil. Antes do 30 anos, recomenda-se o uso em intervalos de, pelo menos, seis meses. Segundo especialistas, o uso prolongado em mulheres mais jovens não tem contra-indicação.

“Cara de Toxina Botulínica”

O temor de perder as expressões do rosto é grande entre as novas adeptas do BOTOX®, toxina derivada de uma bactéria que paralisa a musculatura e impede a contração no local onde é aplicado. Os especialistas agem com cautela.

“Muitas das mulheres que procuram não são fanáticas por estética, mas têm consciência de prevenção. Procuro amenizar rugas, sem deixá-las com ‘cara de BOTOX®’, diz a dermatologista Gabriela Casabona que é contra o uso excessivo da substância.

“Fico com medo de fechar a testa toda. Acho que perde um pouco as expressões. Da última vez, coloquei um pouquinho mais, mas fiquei com receio que ficasse sem expressão”, diz Cassiana Podval, que aplicou pela primeira vez aos 29 anos.

Apesar de o tratamento estar se popularizando, as jovens relatam sentir preconceito pelo uso precoce. “Meu próprio marido falou: ‘Para que você vai fazer isso?’”, lembra Daniela Viana. “As pessoas criticam. Minhas amigas recriminam. Todo mundo fala: ‘Que bobagem’”, diz Marina Nurre.