O calor, a maior exposição ao sol, a combinação de ambientes úmidos e suor e os passeios ao ar livre, podem agravar ou contribuir para o aparecimento de vários tipos de alergias durante o verão. Entre elas, a dermatite atópica – uma doença de pele que se caracteriza por coceira intensa e descamações, que piora com a transpiração – a dermatite de contato – que costuma aparecer quando a pele reage com alguns tipos de cosméticos, como protetor solar, tatuagens temporárias de Henna e bijuterias e em alguns casos o sol pode agravar – e a urticária solar– quando partes do corpo ficam “empipocadas”.

De acordo com a dermatologista do Hospital Samaritano de São Paulo, Dra. Gabriela Casabona, é importante tomar alguns cuidados para prevenir o aparecimento dos sintomas. “Usar protetor solar e manter-se hidratado são algumas das dicas.
Alguns produtos, principalmente aqueles a base de cítricos, também podem provocar reações alérgicas mesmo em quem nunca teve problemas alérgicos.

Algumas substâncias, como as encontradas em frutas como limão e figo deixam a pele mais sensível ao sol e podem causar queimaduras e reações alérgicas”, afirma a médica. O mais indicado é evitar o contato esses alimentos ou usar luvas durante a manipulação, pois, mesmo lavando as mãos, eles podem provocar as queimaduras e manchas.

A especialista alerta também que é importante consultar um médico antes de sair de férias para manter a pele bonita e longe das alergias provocadas pelo sol e produtos.